FORMAÇÃO DA NOVA ECONOMIA

FORMAÇÃO DA NOVA ECONOMIA

Esse artigo é suplementar a série de artigos sobre a Era Digital da qual fazemos partes. Você pode pular para o artigo a seguir sem comprometer o seguimento lógico ou fazer parte da linha de pensamento onde certamente fará diferença ao finalizar a leitura deste post.

Com ou sem pandemia a Nova Economia está em ascensão. Pode-se dizer que a pandemia acelerou? Pode. Pode-se dizer também em sua ausência também viria a passos largos? Sim.

O fato é que a chamada Nova Economia é um processo de crescimento exponencial social e tecnológico. Somente social devido o envolvimento inerente da sociedade humana nesse processo de criação. O ritmo tecnológico editado pela ciência, financiada em grande parte pelo Estado e validada pelo Mercado, a massa populacional não acompanha, o dia a dia lidando com desafios cotidianos, trabalhistas, familiares, e até mesmo em relação a capilaridade do capital; de modo que a introdução da Nova Economia, apesar do apelo midiático de ser para ontem, a realidade que é um processo de década até a massiva população está ciente da ciência presente neste cotidiano.

Exemplo. Países Emergentes e da América Latina retrata o lado desigual, coerente e justo, deste meio bilhão de pessoas com pouco acesso à participação da Revolução Tecnológica aos gadgets, equipamentos veiculares e eletrônicos da Segunda Era Digital. Se é desigual, a percepção é em 4k. Coerente, visto os desacertos políticos há décadas, desalinhamento econômico a abertura de mercado, portanto justo, uma vez não concluído a implementação do sofisticado modelo de organização social na fusão da democracia e do capitalismo embasado no Estado de Direito. Citar o Chile como o país mais próximo da classificação “desenvolvido”.  Pode ser?

Acompanhe. O Chile é um país. O Brasil é um país. São Paulo é uma cidade. O Chile é um país. A região metropolitana da cidade de São Paulo tem população equivalente a população inteira do país Chile. Outros dados, além do número de pessoas residentes, como o IDH, o PIB, são muito próximos comparando São Paulo e Chile. Pode-se afirmar que o Brasil é um país em desenvolvimento, retirando a classificação da ONU? Não! São Paulo é tão desenvolvido quanto o Chile; o Brasil está distante. Muito distante. A metade de toda a população brasileira vive com apenas 97 dólares por mês! Com a moeda internacional cotada a R$ 5,10, levando em consideração 104 milhões de residentes sul-americanos no Brasil que estão sem emprego formal.  

Identifique o momento da curva onde você possui pleno acesso

A retomada econômica é lenta e dolorosa, a formação da nova economia é oposta. A exponencial curva do avanço tecnológico, a verdade é que poucos a acompanham como vimos no exercício anterior. Ok, os computadores que levaram o homem a lua é insignificante perante aos smartphones de última geração. Agora, o público que participou daquele momento histórico, seus filhos hoje, ou até mesmo eles já seniores, tem potência financeira para aderir o smartphone de última geração estando em um país latino ou africano?  A nova economia para a massa populacional vai demorar.

Mas afinal, quais são as características e o que forma a chamada Nova Economia?

Termo não novo, relançado em meados da década de 10 do século XXI, para designar empresas de serviços no ambiente da Era Digital contidas em plataformas tecnológicas formada por softwares de fácil aplicação integrado ao servidor nuvem da empresa. Já falamos aqui no blog outros setores da economia onde a Nova Economia é partilhada. Mobilidade urbana, telecomunicações e energia são os de maiores impactos. 

O termo Nova Economia é partilhado também com estudos, iniciativas e propostas tais quais aplicam a Sustentabilidade, o Capitalismo Consciente, a Justiça Social, e as Empresas Poetas. Envolve desde ambientação de empresas em status de startup até o fechamento, por parte do Estado, em indústrias que ultrapassam o limítrofe fiscal, ambiental e social. A sociedade funda ONGs e Startups, as ONGs cobram do Estado, o Estado modifica, amplia e lança mecanismos jurídicos, e as startups ganham chifres únicos. É o cenário da Nova Economia escalável a longo prazo.

Curva-S da Ciência, Tecnologia e Inovação

O gráfico acima produzido pela consultoria Tata discerne os aspectos englobados da ciência durante a evolução tecnológica recente. Os pontos azuis indica as áreas já desenvolvidas e usualmente utilizados direta e indiretamente pela população global. Os pontos verdes mesclados são tecnologias em andamento nos países/regiões desenvolvidas até que a bifurcação acontece de cenários futuros projetados – pontos amarelos – e para o caminho do futuro incerto desconhecido – pontos cinzas. Entre os dois caminhos existem uma série de variáveis dependentes do cenário político, social e econômico para cada país/região independente do continente do globo.

Deixe um comentário

Nome
E-mail
Site
Comentário

Loading...