LOGÍSTICA E MEIO AMBIENTE: FUSÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

LOGÍSTICA E MEIO AMBIENTE: FUSÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

LOGÍSTICA E MEIO AMBIENTE: FUSÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Com o Dia da Logística sucedendo o Dia do Meio Ambiente, 6 e 5 de Junho respectivamente, é muito importante refletirmos como as duas temáticas impacta na outra, e como as duas contribuem para o progresso social. Quando se pronuncia logística, a primeira imagem que aparece na mente são caminhões, tráfegos, estradas, mercadorias. Quando se pronuncia meio ambiente, as florestas, rios, lixos, praças, são os lugares que aparecem no primeiro momento. E se aliarmos estes dois conteúdos? Bom, é fundamental que ao analisarmos ambos, não se restrinja apenas a essas duas “imagens”, as quais não chegam nem perto do conceito preliminar delas.  É nesta linha de pensamento que os próximos parágrafos são desenvolvidos neste artigo.

Sempre ressalto que a logística deve ser orientada como investimento, uma organização com fins lucrativos, ganha muito mais se tratá-la taticamente assim, sabendo aplicar os recursos disponíveis em equipamentos e softwares que automatizam o processo, simplificam a comunicação, demanda menos “mão humana”, menos tempo de resposta, e até diminui o burocratismo, que por consequência, uma das, o consumo de papel celulose cai, retirando daí uma enorme quantidade de desmatamento – mesmo havendo reflorestamento, o custo-benefício é incompatível –  desta forma, além de haver um retorno positivo para a organização em termos de custos, agregar mais valor no seu sistema, e ter maiores margens, colabora no desenvolvimento sustentável, pois gastos antes necessários, como combustível, energia, pneu, passa a não mais pertencer a contabilidade da organização. Fazendo um rápido translado aqui, na retirada de 150 caminhões das rodovias, levando uma mesma carga, e pondo 1 ferrovia de tamanho comum, a capacidade será exatamente igual, trazendo consigo inúmeros benefícios para o meio ambiente, principalmente na redução do dióxido de carbono.

Por falar em meio ambiente… muito se tem visto países debaterem sobre, com fórum de discussão pública, a ONU lançando metas para esses países, mas quando se verifica na prática, poucos tem “produtividade sustentáveis”, com empresas, governos e sociedades unidas para o desenvolvimento coerente. Exemplo atual? Alemanha, um excelente país que aprendeu com a experiência. O cuidado com o meio ambiente exige vigilância de todos, aliás, a obrigação primordial da sua manutenção,  não é somente por conta dos Estados e das empresas, mas sim da sociedade. O cuidado com o meio ambiente começa pela sua casa!  Enganados aos que acham que se resume a não jogar lixo no chão, vai deste poupar água e energia, independentemente de onde esteja, até a preservação de uma floresta inteira. Estava conversando com uma turma sobre isso uma vez, e alguém esbravejou: “Conserta o mundo, cara”, respondi calmamente que sozinho não daria, mas que com eles, possivelmente sim. A coletividade é bem mais forte.

Governos são imprescindíveis sim neste apoio para uma economia mais respeitável com a natureza e aos que a residem, incentivos governamentais em ONGs, em educação empresarial, investimentos socioeducacionais visando a ciência logística sustentável, criação de cidades por planejamento, não por invasão, com crescimento projetado, não estrangulado.  Ao conceber benefícios direcionados as empresas que prezam a “logística verde”, ou seja, o governo ao montar uma estratégia meritocrática nesta questão, outras empresas automaticamente tratariam de se reajustarem. Entrando ainda mais nisto, quero dizer que valorizando uma corporação que respeita o meio ambiente, que avança conscientemente, toma decisões com base no desenvolvimento sustentável, e que mesmo antes de iniciar a produção de um novo produto, já pensa em como ele poderá ser reciclado, descartado, ou modificado, é de extrema relevância.

Agora, é claro, quando olhamos para o Brasil, apesar de todo a estrutura institucional que temos, observar-se que precisamos avançar consideravelmente para o alcance de países exemplos da logística verde, e até mesmo da logística reversa, a qual inclui, exemplificando um destes, a Noruega tem se destacado bastante. É muito expressivo o atraso na maioria dos setores neste país, na logística verde, uma vergonha nacional. Considerando o dado de que a nação tem a maior população mundial de nativos sem contato com a sociedade civil ainda, e verificar ao mesmo tempo a implantação de uma estrada cortando a Amazônia, é realmente fatídico. Existem de sobras outras soluções para a resolução do problema. Agora se existem de sobras interesses na mesma proporção, é outra história.

Ademais, sem necessidade de ir muito longe com a relação da logística e do meio ambiente, a fusão pode acontecer bem perto da gente, só basta verificarmos o dia a dia das grandes cidades civilizadas: ao invés de ir de carro, as pessoas preferem pegar um ônibus! Logística e meio ambiente “andando juntos”. O desenvolvimento sustentável começa pelo coletivo, mas antes disto, por você.

Deixe um comentário

Nome
E-mail
Site
Comentário

Loading...