O marketing digital pede socorro

O marketing digital pede socorro

Participei de um evento uma vez em que um dos palestrantes era uma coach que mandava a gente pular tocando uma música com o dedo apontando para o nariz dançando alegremente. Me veio na hora uma lembrança em que outro dia fui a uma igreja evangélica em que o pastor eufórico pulava ao som de um rock gospel junto com seus fieis. São situações muito parecidas, e que tenho uma impressão da euforia de ambos os momentos estarem muito simpáticas apontando para o mesmo objetivo: acreditar, ter fé, motivar que vai dar certo nossos planos.

Assisti muitas palestras no YouTube datada do século passado, década de 90 até os anos 2000 sobre motivação e vendas. Eles falavam o que muitos palestrantes de coaching e empreendedorismo falam hoje com outras palavras. A roupagem no linguajar mudou, mas o corpo continua o mesmo. Indicação, apontamento, de que é preciso mudar, ser feliz por meio disto ou daquilo, piadas, comparações intangíveis,

Agora você pergunta como diferenciar verdadeiramente um profissional do marketing, sendo ele digital ou off-line, de um vendedor de soluções replicáveis ao atacado?

Gurus brasileiros que se dizem especialistas no marketing, muitas vezes não possuindo formações mínimas nesta ciência, exceto, imagino, em habilidades para vender suas fórmulas secretas; nós vimos um crescimento exponencial deles nos últimos anos no Brasil por justamente termos um mercado profissional carente nesta área.

Desconfie quando a sua apresentação iniciar com discurso de motivação (venda de magia), obtendo um olhar especial nos seus feitos reais no mercado antes dele vender o que vende atualmente. Se for muito distante do que é ofertado no presente, um ponto amarelo se acende. 

Deixe um comentário

Nome
E-mail
Site
Comentário

Loading...